Artigos

Especial UFC 200: A arbitragem da Noite!


Eu prefiro qualquer outro árbitro, menos ele.” foi assim que Jones “Bones” Jones reagiu à escolha de John McCarthy como árbitro de sua luta contra Daniel Cormier pela unificação do cinturão dos meio-pesados no UFC 200. Conhecido pelos fãs como o “Big John”, McCarthy tem uma carreira irrefutável, foi um dos responsáveis por unificar as regras do esporte e continua arbitrando desde os primórdios do Ultimate. Se Jones fizer seu dever de casa não terá nenhum problema com arbitragem, mas se a peleja se alongar até o último round, aí sim terá um grande problema. Algo que deve ser mais temido por Jones do que Big John é o árbitro de mesa, Sal D’Amato!

Sobre o fato descrito acima Bob Bennett comentou ao site MMAmaniaNessa manhã (28 de Junho) às 8:18 eu recebi um e-mail do Sr. Kawa, do camp de Jones, expressando sua preocupação com o fato de John McCarthy estar na luta. Seguramente eu analisei suas contestações e respeito os comentários que fez, mas eu não acho que sejam significantes o suficiente para mudar minha recomendação” disse o Diretor Executivo da Comissão Atlética de Nevada, a responsável por ditar as regras do jogo.

Nas redes sociais Jones não apresentou seus argumentos reais, apenas sente que algo ruim pode acontecer: “É uma mistura de muitas coisas no decorrer desses anos. A energia [por exemplo], eu sinto que não temos a melhor energia. É um acúmulo de algumas coisas que aconteceram durante algumas lutas e interações pessoais. Eu simplesmente sinto que não preciso de nada mais contra mim, já que já estou enfrentando um grande lutador como o DC” reforça Jones. De fato, Jones não deve se preocupar com John McCarthy. Em sua carreira como árbitro foram poucos os erros grosseiros que cometeu, as únicas lutas que participou de Jones, todas elas o mesmo saiu vencedor, contra Lyoto Machida (UFC 140), Victor Belfort (UFC 152) e Alexander Gustafsson (UFC 165).

Mas um fator deve ser visto com atenção, a escolha dos três árbitros de mesa –  que marcam os pontos e julgam o resultado da luta caso termine sem uma definição: Derek Cleary, Glenn Trowbridge e Sal D’Amato. Este último nome não soa estranho para qualquer fã atento. Sal D’Amato esteve envolvido em diversas lutas controversas nos últimos anos, basta dar um ‘Google’ em seu nome e verá uma enxurrada delas. Todas capazes de permitir que o espectador desconfie de coisas urdidas por esses árbitros de mesa, figuras tão obscuras que é difícil encontrar qualquer tipo de informação sobre os mesmos na internet. Alguns parecem nem mesmo existir, apesar de ficarem em posições estratégicas ao redor do octógono mal podemos ver seus rostos.

Sal D’Amato é um dos árbitros mais escolhidos para julgar as lutas, tendo trabalhado em eventos do Ultimate no Mundo inteiro, incluindo Brasil. Em 2013 de todas as lutas em que trabalhou e foram até o último round, cerca de 12.5% foram consideradas controversas. Para ser mais especifico veja o caso de algumas dessas lutas, em todas sua decisão influenciou o vencedor e foi no mínimo controversa:

UFC Fight Night 29: Fabio Maldonado vs. Joey Beltran
UFC on FX 7: Godrofredo Pepey vs. Milton Viera
UFC 158: Patrick Cote vs. Bobby Voelker
UFC 163: Phil Davis vs. Lyoto Machida
UFC 167: Georges St. Pierre vs. Johny Hendricks

Em 2015 a luta eleita pelo site Sherdog como “Roubo do Ano”: Bedel Dariush contra Michael Johson pelo UFC Fight Night, teve como D’Amato protagonista na decisão final. “Eu já sabia que isso ia acontecer, eu estava no cage e olhei para o Bruce Buffer e Herb Dean, e eles estavam lendo os cartões e suas expressões já diziam por sí, todos sabiam que eu havia ganhado aquela luta, e eu via no rosto deles. Acho que Bruce Buffer ficou até confuso lendo o cartão, ele teve que checar novamente com os juízes… Não sei se me ouviram mas eu dizia -Wow, eles deram para ele. Deram pra ele slip decision.” contou Johnson ao site MMAJunkie.

30

Decisões como essa não são raras, é por isso que Dana White sempre diz “Nunca deixe nas mãos dos juízes” a frase é tão famosa que estampa a porta dos vestiários do TUF (The Ultimate Fighters). As polêmicas sobre os erros das arbitragens seja em qualquer esporte geram debates em programas esportivos, assunto para colunistas, brincadeiras entre amigos, isso tudo é normal, faz parte do ser-humano, todos somos suscetíveis a erros. Assim como diversos esportes passaram a utilizar a tecnologia como trunfo ao invés de a mesma ser apenas algo que potencializa seus erros, os árbitros de mesa do UFC e qualquer evento de MMA deve ter a sua frente câmeras com todos os ângulos possíveis, para um bom julgamento. Mas as regras para escolha de árbitros devem ser mais claras possíveis para que não se levantem dúvidas quanto a legitimidade do esporte. O site Pós Luta tentou um contato com Bob Bennett mas sua secretária nos informou que o Diretor da Comissão Atlética de Nevada ficaria fora de seu escritório por uma semana. Abaixo uma tabela com decisões controversas de Sal D’Amato.

tabela

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!