Artigos

UFC de volta a São Paulo


O som da multidão é igual em toda parte do Mundo em que haja brasileiros lutando, o grito que ecoa nas arquibancadas é o mesmo desde o UFC 134 (cinco anos atrás), um som compacto que virou quase um ritual “Uh, vai morrer!”. O grito de guerra adotado pelos fãs de MMA será novamente escutado em solo brasileiro. Na semana em que a Fórmula 1 se despede de São Paulo, chega a cidade mais um grande evento internacional, UFC Fight Night 100 ou simplesmente UFC São Paulo como é chamado por aqui, prometendo mais um final de semana de ação na Terra da Garoa! O palco será novamente o Ginásio do Ibirapuera na Zona Sul da Capital.

A luta da noite será a revanche entre o Rogério “Minotouro” Nogueira contra o norte-americano Ryan Bader. Na primeira ocasião, seis anos atrás, Bader saiu vitorioso em uma unânime vitória. Agora Minotouro busca não só a vitória mas o topo do ranking da divisão meio-pesado. Em conversa com jornalistas do site oficial do Ultimate, Minotouro relembra o primeiro duelo entre os dois: “Foi uma luta muito disputada, decisão até um pouco polêmica. Era uma luta que eu queria fazer, já faz mais de três anos que vinha tentando, e veio numa hora boa. O Bader está numa grande fase da carreira, eu venho de uma fase boa, fiz duas grandes lutas nos últimos dois anos, então acho que é uma boa hora (para a revanche)” revela o veterano Brasileiro.

Ryan Bader, número 4 do ranking dos meio-pesados foi chamado para o card de São Paulo após uma lesão de Alexander Gustafsson e faz sua segunda luta em solo brasileiro, a primeira ocorreu em Minhas Gerais quando perdeu para Glover Teixeira. “Minha preparação é a minha experiência. Eu já lutei no Japão, onde eles (os fãs) são todos muito empolgados, e também já lutei no Brasil onde a multidão é muito empolgada e torcem muito forte pelos seus lutadores. Mas eles são muito receptivos e simpáticos. Eu sei que existem muitas pessoas torcendo contra mim, mas eu transformo toda essa energia em gás para a luta. É assim que as coisas são, eu adorei lutar no Brasil da última vez. O contato com os fãs, mesmo sabendo que eles estavam torcendo contra mim, foi uma experiência muito boa” contou o atleta em conferência feita por telefone na sede da assessoria de imprensa do UFC no Rio de Janeiro.

No futebol, para a torcida brasileira a seleção tem sempre a obrigação de ganhar, jogando em casa a cobrança é ainda maior e no MMA a pressão pela vitória não é diferente. No entanto, torcedores e mídia vêem os atletas brasileiros com certo ceticismo, após derrotas de favoritos como Rafael dos Anjos e Fabricio Werdum, o país vê com poucas esperanças um novo campeão num futuro próximo. Vencendo suas lutas: Minotouro e Gadelha passam a ter grandes chances de desafiar o campeão de suas categorias e quem sabe trazer o cinturão para casa!

Esse será o último evento em solo brasileiro neste ano, o próximo evento no país, conforme divulgado logo após o evento de Nova York será em 11 de Março, possivelmente no Rio de Janeiro. Ingressos para o UFC São Paulo ainda estão disponíveis pela Ingresso Rápido.

cxox-oaxcaaupmb-1-1

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!