Artigos

UFC Fortaleza: Bolsonaro, Banho de Sangue e Aposentadorias


Pela primeira vez no Centro de Formação Olímpica do Nordeste, moderno complexo construído para a preparação dos Jogos Olímpicos do Rio, e considerado o maior conjunto de instalações esportiva do país, recebeu nessa noite o UFC Fight Night 106, com transmissão ao vivo na madrugada da TV Globo e em rede aberta nos EUA pelo canal Fox Sports 1. Segundo evento do UFC em Fortaleza, o primeiro foi em 2013 no duelo entre treinadores do TUF Brasil: Nogueira e Fabricio Werdum, o evento terminou com saldo positivo, com todos os ingressos esgotados,  público de 14.069 pessoas e lutadores brasileiros em festa.

Dentro do octógono mais uma vez a realidade superou as expectativas já otimistas, com evento começando com um card preliminar bem agitado. A primeira baixa do dia foi a ausência do lendário Bruce Buffer, substituído por Joe Martinez, conhecido por ser o ‘announcer’ de boxe da Golden Boy Promotions. A luta que abriu a noite foi entre o ex-campeão do Jungle Fight: Paulo Borrachinha e Mcllean. O brasileiro, fazendo sua estréia do Ultimate, não sentiu a pressão e venceu de forma contundente ainda no primeiro round. Polêmico, em entrevista nos bastidores Borrachinha voltou a dedicar a vitória ao deputado Jair Bolsonaro. Não é a primeira vez que o lutador expõe suas ideologias políticas. No ano passado, em São Paulo, após outra vitória, Borrachinha mostrou uma camiseta com uma foto do deputado e disse: “Chega de corrupção. Vamos lutar por nosso país. Esse país está cheio de político corrupto. A gente tem que botar eles no lugar”. Dessa vez disse que conheceu Bolsonaro há duas semanas e não estavam sendo pago para mencioná-lo, em suas palavras “Sou Bolsonaro faz tempo!”.

A segunda baixa foi a derrota de Joshua Burkman para Michel “Trator” Prazeres no primeiro round. Ainda no octógono Brian Stann anuncia aposentadoria de Burkman, confirmada e desmentida logo em seguida no media-scrum — a volta de aposentadoria mais rápida da história. Também no media-scrum após a luta Prazeres agradece a PM do Estado do Pará pelo apoio. Borrachinha e Prazeres ganharam o bônus de “Performance da Noite” por seus respectivos nocautes.

IMG_0859

Já o prêmio fictício de “Luta Sangrenta da Noite” foi para Rahni Yahya e Joe Soto. Após Yahya desferir cabeçada acidental em Soto no segundo round a testa do americano abriu e o sangue não parou. As imagens foram fortes, com certeza um dos cortes mais feios já visto. Como dizem os ingleses “bloody hell”! Heroicamente Joe Soto consegue a vitória por decisão unânime após 15min de luta. Em seguida a menos empolgante até então o brasileiro Serginho Moraes vence de forma controversa por decisão unânime o “Tasmanian Devil” Davi Ramos. Na última luta do card preliminar, o fenômeno de Motown Kevin Lee acaba com invencibilidade de sete lutas do brasileiro Massaranduba via “rear-naked choke” no fim do segundo round.

No card principal o Brasil começou com pé direito, com vitória tranquila de Alex Oliveira, o “cowboy brasileiro”. “Foi para lavar a alma, foi uma vitória para ficar. Ele é um cara duro, da última vez que a gente se enfrentou, eu saí de maca, mas dessa vez deu tudo certo. Eu agradeço a ele por ter aceitado a luta de novo. Ele poderia não ter aceitado, mas ele aceitou e eu agradeço. Agradeceria mesmo se tivesse perdido a luta. Agora é hora de curtir meus filhos, minha mãe e minha família. E o que o UFC apontar para mim, estarei pronto.” disse o atleta. Em seguida a brasileira Bethe “Pitbull” Correia mostrou toda sua agressividade contra Marlon Reneau, mas no terceiro round quase foi à nocaute e passou por sufoco, levando os árbitros a darem empate majoritário.

Entrando na segunda luta principal, madrugada à dentro, Shogun fez a melhor luta da noite contra o norte-americano Gian Villante. Essa não só foi uma das melhores atuações de Shogun dentro do octógono do UFC. Desferindo fortes golpes com de direita, Shogun conseguiu um TKO logo no começo do terceiro round. Eu comecei um pouco cauteloso porque achei que ele ia buscar me levar pro chão, mas ele preferiu trocar comigo. Foi uma luta boa. A vitória apaga a dor das lesões, de tudo o que passei nos últimos anos.  Eu sempre luto com os melhores, nunca escolhi adversários. O meu trabalho é treinar e lutar.

Partindo para a luta principal, entre Vitor Belfort e Kelvin Gastelum o resultado não de tão mau para os brasileiros. Durante toda a semana Kelvin ganhou a torcida brasileira ao mostrar seu conhecimento e gosto pela cultura local – falando um bom português e cantando musicas brasileiras de sucesso. A luta foi rápida e acachapante para Gastelum. Belfort sofreu dois knock-downs e acabou perdendo por TKO logo no primeiro round. Entristecido com a performance e com três derrotas consecutivas no cartel, Belfort anunciou que deve fazer apenas mais uma luta para o UFC. Seu desejo é agora promover o esporte.

Kelvin, feliz após a luta agradeceu o apoio dos fãs, expressou seu desejo de lutar aqui novamente, mas contra o maior ídolo local, Anderson Silva. “Eu treinei três meses para essa luta, não consegui participar do aniversário da minha mãe por conta disso. Eu sempre confiei no meu jogo e nas minhas habilidades de finalizar qualquer luta. Tem um cara que está sempre por aí fazendo barulho e que que gostaria de enfrentar: Anderson Silva, no Rio de Janeiro, em junho.”.

UFC Fight Night 106 Belfort vs. Gastelum
Local: Centro de Formação Olímpica
Público: 14.069
Cidade: Fortaleza, Ceará
Data: 11/03/2017
Arbitragem: CABMMA (Comissão Atlética Brasileira de MMA)
Promotor: WME-IMG

Vitor Belfort vs. Kelvin Gastelum
Categoria: Middleweight 205 lbs (Peso médio 84 kgs)
Resultado: TKO por Gastelum
Tempo: 3min52 do Primeiro Round
Juiz: Big John McCarthy
Árbitros: Fabio Alves, Guilherme Bravo e Tony Weeks
Músicas: O Côro Vai Comê – Charlie Brown Jr. (Gastelum) / 300 Violin Orchestra – Jorge Quintero (Belfort)
Patrocínio Reebok: Belfort (R$47.067) / Gastelum (R$31.378)
Suspensão Médica: Belfort (45 dias sem lutar) / Gastelum (14 dias sem lutar)

“Quero agradecer aos fãs, minha família, meus amigos. Eu tenho mais uma luta no contrato, gostaria muito que ela fosse no Rio. A derrota faz parte, vamos levantar a cabeça, não foi uma noite legal para mim.” diz Belfort. “Eu treinei três meses para essa luta, não consegui participar do aniversário da minha mãe por conta disso. Eu sempre confiei no meu jogo e nas minhas habilidades de finalizar qualquer luta. Tem um cara que está sempre por aí fazendo barulho e que que gostaria de enfrentar: Anderson Silva, no Rio de Janeiro, em junho. ”

Mauricio “Shogun” Rua vs. Gian Villante
Categoria: Light heavyweight 205 lbs (Peso meio-pesado 93 kgs)
Resultado: TKO por Shogun
Tempo: 0min59 do Terceiro Round
Juiz: Mario Yamasaki
Árbitros: Tony Weeks (18-20), Guilherme Bravo (18-20) e Sal Damato (18-20)
Músicas: God’s Gonna Cut You Down – Johnny Cash (Villante) / Sail – Armin Van Buuren (Shogun)
Patrocínio Reebok: Shogun (R$47.067) / Villante (R$31.378)
Suspensão Médica: Shogun (14 dias sem lutar) / Villante (45 dias sem lutar)

“O Villante é um cara duro, merece todo o respeito e ainda vai ter muito sucesso. Eu comecei um pouco cauteloso porque achei que ele ia buscar me levar pro chão, mas ele preferiu trocar comigo. Foi uma luta boa. A vitória apaga a dor das lesões, de tudo o que passei nos últimos anos. Eu sempre luto com os melhores, nunca escolhi adversários. O meu trabalho é treinar e lutar.”

Edson Barboza vs. Beneil Dariush
Categoria: Lightweight 155 lbs (Peso Leve 90.3 kgs)
Resultado: TKO por Barboza
Tempo: 3min35 do Segundo Round
Juiz: Osiris Maia
Árbitros: Fabio Alves (10-9), Guilherme Bravo (10-9) e Sal Damato (10-9)
Músicas: Meus Próprios Meios – Oficina G3 (Barboza) / Broken Vessels – Hillsong Worship (Dariush)
Patrocínio Reebok: Barboza (R$47.067) / Dariush (R$31.378)
Suspensão Médica: Barboza (14 dias sem lutar) / Dariush (60 dias sem lutar)

O atleta iraniano começou a luta pressionando Barboza e não dando espaço para que ele respirasse. Dariush abusou dos high e low kicks, principal arma do brasileiro. No segundo round a luta continuou com Barboza apagado e sendo pressionado até que, num timing perfeito conseguiu acertar uma joelhada voadora direto no queixo de seu adversário. Vitória por nocaute técnico! Ao sair do octógono Dariush parou para ver no telão o momento do nocaute em replay. Não se lembrava nem de como foi… “Estou muito feliz, eu amo o que eu faço. Durante essa semana eu falei que até hoje o momento mais incrível da minha carreira havia sido o nocaute sobre o Etim e que eu gostaria de fazer algo semelhante em Fortaleza. Acho que consegui. Eu luto com os melhores do mundo e às vezes o nocaute não vem, mas dessa vez veio e vai me colocar bem perto do cinturão. Eu quero lutar com o Ferguson, quero a revanche. A última luta com ele peguei faltando apenas quatro semanas e se o UFC me desse essa oportunidade, seriam cinco rounds de guerra. Eu quero muito isso.” disse Barbosa.

Jussier Formiga vs. Ray Borg
Categoria: Flyweight 128 lbs (Peso Mosca 57 kgs)
Resultado: Decisão Unânime
Tempo: 15min
Juiz: Mario Yamasaki
Árbitros: Fabio Alves (29-28), Tony Weeks (29-28) e Sal Damato (29-29)
Músicas: Shout At The Devil – Motley Crue (Ray Borg) / O Hino – Fernandinho (Formiga)
Patrocínio Reebok: Formiga (R$15.689) / Borg (R$15.689)
Suspensão Médica: Formiga (30 dias sem lutar) / Borg (14 dias sem lutar)

Jussier, atleta da Kimura Nova União consegue vitória por decisão unânime após 15 minutos de luta. “Foi uma grande luta com um grande adversário. Ele pegou minhas costas uma vez, mas eu consegui me livrar, e ninguém nunca consegue. Depois tive a oportunidade de pegar suas costas e fui em busca da finalização até o final da luta. Foi muito bom lutar no Brasil, eu amo a paixão pelo esporte e os fãs. Eu gostaria que os fãs americanos fossem apaixonados como os brasileiros. Eu estou disponível para o que o UFC me oferecer. Eu não tenho medo do DJ ou do Wilson.”

Bethe Correia vs. Marion Reneau
Categoria: Bantamweight 135 lb (Peso Galo-feminino 61.2 kgs)
Resultado: Empate Majoritário
Tempo: 15min
Juiz: Camila Albuquerque
Árbitros: Tony Weeks (28-28), Guilherme Bravo (28-28) e Marco Aurelio Borges (29-27)
Músicas: X Rated – Excision feat. Messinian (Reneau) / Titanium – David Guetta (Correia)
Patrocínio Reebok: Beth (R$15.689) / Reneau (R$15.689)
Suspensão Médica: Beth (180 dias sem lutar ou liberação de um oftalmologista  – fratura orbital. Se liberada, 30 dias) / Reneau (30 dias sem lutar)

A brasileira Beth Correia cumpriu e prometeu: mostrou muita agressividade e coração mas não conseguiu a vitória. Os juízes decretaram a luta empate majoritário. O resultado não foi nada para Beth, que viu sua vitória espancar tomando uma surra no terceiro round. “Foi nítido que ganhei o primeiro e o segundo rounds, só perdi o terceiro. Eu não entendi esse resultado, não.” disse Beth após a luta, Reneau também não entendeu o resultado e achou que saiu vitoriosa “Eu não concordei. Acho que a venci no segundo round e a dominei no terceiro. Um juíz me deu a vitória, os outros dois me deram o empate. Eu deveria ter sido mais agressiva no segundo, então não pode culpar ninguém a não ser a mim mesma.”.

Alex “Cowboy” Oliveira vs. Tim Means
Categoria: Welterweight 156 lb (Peso meio-médio 77kg)
Resultado: Finalização por Mata-leão
Tempo: 2min38 do Segundo Round
Juiz: Big John McCarthy
Árbitros: Tony Weeks (9-10), Fabio Alves (9-10) e Sal Damato (9-10)
Músicas: Gustavo Lima – Balada Tchê Tchê Rere (Oliveira) / Slipping – DMX (Means)
Patrocínio Reebok: Oliveira (R$15.689) / Means (R$31.378)
Suspensão Médica: Oliveira (14 dias sem lutar) / Means (180 dias sem lutar, solicitado raio-x do pé direito. Se normal: 30 dias)

Primeira luta do card principal tem vitória tranquila do cowboy brasileiro Alex Oliveira por finalização no segundo round. “Foi para lavar a alma, foi uma vitória para ficar. Ele é um cara duro, da última vez que a gente se enfrentou, eu saí de maca, mas dessa vez deu tudo certo. Eu agradeço a ele por ter aceitado a luta de novo. Ele poderia não ter aceitado, mas ele aceitou e eu agradeço. Agradeceria mesmo se tivesse perdido a luta. Agora é hora de curtir meus filhos, minha mãe e minha família. E o que o UFC apontar para mim, estarei pronto.” disse Oliveira logo após o combate.

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!