Artigos

UFC 219: Cris Cyborg enfrenta hoje seu maior desafio no octógono: PPV, cinturão e invensibilidade estarão em jogo


cris-cyborg-holly-holm-ufc-219-ceremonial-weigh-ins

No UFC 219 que ocorre logo mais na T-Mobile Arena em Las Vegas, Nevada, nos Estados Unidos, a lutadora brasileira Cris Cyborg enfrentará seu maior desafio na carreira: a norte-americana Holly Holm. O evento marca ainda a primeira participação de Cyborg pay-per-view do UFC. Será uma oportunidade perfeita para a brasileira mostrar o quanto ela consegue atrair de telespectadores para a organização. Mais do que um cartel quase que perfeito no MMA (Foram 18 vitórias consecutivas e apenas uma derrota e, 2005, curiosamente sua estreia no MMA, no Show Fight 2, onde perdeu por finalização para a também brasileira Erica Paes) e retorno financeiro com pay-per-view, o evento de hoje colocará em jogo o cinturão do Peso Pena feminino. Esta inclusive será a primeira defesa de cinturão que Cris Cyborg fará na organização e com uma adversária que de zebra não tem nada.

Holly Holm é uma adversária perigosa, possivelmente o maior desafio da carreira de Cyborg. Holm já esteve na situação de hoje, entrando como zebra contra uma adversária dominante na categoria. Este dia inclusive, ficará imortalizado na história do UFC. Holm com um nocaute (chute na cabeça) brutal pôs fim a uma sequência avassaladora de 12 vitórias consecutivas de Ronda Rousey, das quais 7 defesas de cinturão, sagrando-se a nova detentora do cinturão peso galo feminino, título o qual Holm perdeu logo em sequência.

Holm já possui feitos incríveis no esporte. Nenhum outro lutador, seja homem ou mulher, conseguiu conquistar um título mundial no boxe e no MMA. Porém, destronar Ronda (14 anos invicta) e depois Cyborg (12 anos invicta), os dois maiores nomes do MMA feminino, poderia colocar “The Preacher’s Daughter”, como Holm é chamada, no Hall da Fama do UFC. Ela será a primeira lutadora do UFC a ganhar o cinturão em duas divisões distintas. Entre os homens, apenas Conor McGregor, Georges St-Pierre, B.J. Penn e Randy Couture alcançaram o feito.

Apesar do desafio, acreditamos que Cyborg deverá ter seu braço erguido ao final da luta de hoje. Não só por apresentar um melhor jogo em pé, com uma combinação de maior agressividade e contundência nos golpes. Essa será a chance de Cyborg provar de uma vez por todas que é a maior lutadora que já pisou em um octógono no UFC. Ronda Rousey, a ainda maior estrela da categoria feminina sempre recusou uma luta casada com Cyborg – outras lutadoras fizeram o mesmo. Por isso, derrotar Holm, algoz de Rousey, terá um sabor especial para Cyborg. Estaremos na torcida para que isso ocorra.

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!