Artigos

UFC 212 e Bellator 219: 3 cinturões em jogo, GP dos pesados e muito mais!


Em uma noite empolgante para os fãs de MMA vimos na madruga de hoje os dois principais eventos de MMA hoje, o UFC e o Bellator. Em jogo, diversos cinturões (dos pesados e meio pesados do UFC e dos médios no Bellator, recordes (de defesas de cinturão nos pesados no UFC), a primeira luta do GP dos pesados (no Bellator) e até uma estreia (do filho de Royce, Khonry Gracie).

No Bellator 192, Rory MacDonald consagrou-se campeão dos médios da organização ao vencer o então campeão, o brasileiro Douglas Lima. Luta controversa, Lima nos pareceu mais agressivo e ativo durente toda a luta. Os chutes baixos de Lima, pouco a pouco, foram minando a perna esquerda de Rory, tornando cada vez mais dificil sua mobilidade. Ao final, Rory terminou a luta ensanguentado, com o rosto desfigurado (como sempre) e a perna esquerda bastante inchada após vários chutes. Ainda assim, os arbitros viram vantagem de Rory ao longo da luta e lhe deram a vitória por decisão unânime. Na luta pelo Grand Prix dos Pesados, Chael Sonnen conseguiu passar por Rampage Jackson e avançou no torneio. Sonnen fez uma luta com o livro de regras de baixo do braço. Aplicou alguns quedas e se manteve por cima de Rampage. Amarrão e com melhor forma física Sonnen acabou saindo vitórioso, também por decisão unânime dos árbitros (29-28 x3). Curiosidades a parte, Khonry Gracie, filho de Royce Grace, perdeu sua luta contra Devon Brock por decisão unânime dos árbitros (30-27, 29-28, 29-28).

Enquanto isso, no mesmo horário, o UFC 220 trouxe excelentes combates. Infelizmente, todos os brasileiros sairam derrotados. Favorito, Cormier manteve seu cinturão ao derrotar Volkan Oezdemir por nocaute técnico. Na última luta da noite, Stipe Miocic também manteve seu cinturão ao derrotar o Predador camaronês, Francis Ngannou. Miocic ainda bateu o recorde de defesas de cinturão na divisão dos pesados.

miocic.png

UFC 212: Card Principal

Stipe Miocic vs. Francis Ngannou

Na tão esperada disputa dos pesados pelo cinturão dos pesados, a experiência falou mais alto. Stipe Miocic mostrou mais inteligência na luta, aplicou boas quedas em todos os rounds, mostrou ainda uma boa esquiva no primeiro round e soube manter a distância. Pouco a pouco, Francis Ngannou foi se cansando a ponto de não conseguir mais andar pelo octógono. No chão, o camaronês mostrou sua inexperiência, não soube se defender, nem atacar.

Daniel Cormier (vencedor; nocaute técnico; 2o Round) vs. Volkan Oezdemir

Na categoria até os 93kg, Daniel Cormier defendeu o cinturão contra o suíço Volkan Oezdemir. DC obteve uma vitória tranquilo contra Volkan. Depois de passar por um aperto nos primeiros minutos do primeiro Round, DC se recuperou, aplicou bons golpes e 1 takedown sobre Volkan. No segundo round, mais uma vez Volkan foi derrubado e uma vez por cima, DC foi… DC… Vitória por nocaute técnico de Daniel Cormier. Essa foi uma vitória bastante importante para ele, DC apesar de deter o cinturão da divisão dos meio pesados, vinha de uma derrota (mais tarde convertida em NC) para Jon Jones. “Passei por muita coisa, muita coisa mesmo, por causa do meu grande rival (Jones). Eu consegui, sou campeão do UFC de novo” disse emocionado DC na entrevista ainda no octógono.

Calvin Kattar (vencedor; nocaute técnico; 3o Round) vs. Shane Burgos

Calvin Kattar após 2 round de luta apertada, conseguiu um nocaute técnico sobre Shane Burgos nos primeiros 30 segundos do último round. A luta foi ofuscada pela disputa do cinturão dos médios que ocorria no mesmo horário pelo Bellator 192 entre Douglas Lima e Rory MacDonald.

Gian Villante (vencedor; decisão dividida) vs. Francimar Barroso

Última esperança do Brasil no UFC 220, Francimar Barroso, o “Bodão”, perdeu por decisão dividida dos arbitros para Gian Villante. Em uma luta fraca, provavelmente uma das piores da noite, Bodão não mostrou seu potencial, andou para trás a luta inteira, provavelmente esperando um bom golpe conectar que nunca chegou. Villante, apesar de mais cansado em todos os rounds, conseguiu mostrar mais efetividade e levou a luta.

Thomas Almeida vs. Rob Font (vencedor; Nocaute Técnico: 2o Round)

Para tristeza dos brasileiros, Tominhas Almeida (favorito) perdeu sua luta contra Rob Font no segundo round por nocaute técnico. Promessa brasileira na divisão peso-galo do UFC e ex-campeão do Legacy na divisão, Thomas já vinha de uma derrota para Jimmie Rivera por decisão dos juízes no UFC on Fox: Weidman vs. Gastelum em Julho de 2017.

UFC 212: Card Preliminar

Na primeira luta da noite, o brasileiro Gleidon Tibau sofreu uma derrota relâmpago para Islam Makhachev aos 57 segundos do 1º Round. Makhachev só precisou de um soco para desconectar o brasileiro. Tibau voltou ao octógono depois de quase 2 anos afastado por conta de uso de doping. Muito provavelmente essa deve ter sido a última luta de Tibau na organização. As três lutas seguintes foram para a decisão dos árbitros. Dustin Ortiz derrotou o brasileiro Alexandre Pantoja por decisão unânime (29-28 x3). Julio Arce saiu vitorioso do embate contra Dan Ige também por decisão unânime (30-27 x2, 29-28) e Enrique Barzola, por decisão unânime (30-27, 29-28 x2) derrotou Matt Bessette. Em uma das lutas mais esperadas do card preliminar, na revanche entre Abdul Razak Alhassan vs. Sabah Homasi, Abdul levou a melhor ao nocautear Homasi com um poderoso upper de direita no final do primeiro round. Adbul e Homasi haviam se enfrentado no UFC 218, na ocasião Abdul teve uma vitória (também no primeiro round) decretada por Herb Dean. O juiz deu a vitória por nocaute técnico após Abdul desferir um poderoso golpe no corpo de Homasi, fazendo-o a ficar de joelhos. Imediatamente Herb Dean encerrou a luta, dando a vitória a Abdul. Dana White, concedeu uma revanche imediata a Homasi. Bom, depois dessa luta Adbul deve ter lavado a alma. A vitória foi rápida e avassaladora. Nocaute no primeiro round! Na última luta do card preliminar, Kyle Bochniak derrotou Brandon Davis em uma luta morna por decisão unânime dos juízes (29-28 x2, 29-27).