Artigos

UFC 223: lutas sensacionais salvam o card de Nova York


071_Rose_Namajunas_vs_JJ.0
Foto de MMA Fighting

O que era para ser um dos melhores eventos do ano, digno de Nova York, acabou perdendo um pouco do seu brilho. Começamos a semana com a expectativa de um card completo e uma definição a respeito do destino do cinturão dos leves. O que vimos 24h antes do evento foi uma sucessão de fatos surreias, que quase acabaram com o UFC Nova York.

No domingo, 1, Dana White informou por meio de sua conta no Twitter uma lesão de Tony Ferguson, pondo em risco a disputa de cinturão de Khabib Nurmagomedov. Horas depois já estava anunciado o novo adversário de Khabib: Max Holloway.

Na  quarta-feira, 4, o portal MMANytt divulgou uma filmagem amadora do treinador da equipe Sikjitsu, Rick Little, em que o russo Khabib Nurmagomedov aparentemente da uma dura no também russo Artem Lobov no hotel onde os lutadores estavam hospedados. No dia seguinte, Conor McGregor e sua “gangue” (entre eles Lobov) invadiram a Barclays Center, no Brooklyn, em Nova York, onde havia acabado de ocorrer o Media Day do UFC 223. Aos gritos, a gangue identificou o ônibus onde estava Khabib e outros lutadores e começaram um ataque mal sucedido graças a ajuda dos seguranças do UFC. Nas filmagens disponibilizadas pelo próprio UFC é possível ver McGregor e seu time arremessando carrinhos, grades e lixo no ônibus. Um dos objetos arremessados chegou a quebrar os vidros do ônibus e acertar Michael Chiesa, que acabou ferido. McGregor acabou sendo preso pela polícia de Nova York e após pagar uma fiança irrisória para um milionário, foi liberado e responderá a um processo.

Na sexta-feira, 6, dia da pesagem, a Comissão Atlética de Nova York vetou a partcipação de Max Holloway na luta contra Khabib. A alegação foi que seria perigoso para a saúde de Holloway continuar com a perda de peso. Paul “The Irish Dragon” Felder, adversário de Al Iaquinta foi a próxima opção. Porém, a Comissão o vetou elegando que Felder não estava no ranking oficial da divisão dos leves. Sabendo da situação, diversos lutadores chegaram a se oferecer para a luta, entre eles BJ Penn e RDA, mas o UFC acabou optando por um atleta que já estava treinado, pronto para a luta, o adversário de Felder, Al Iaquinta.

Decidido o adversário de Khabib, horas antes da pesagem, o UFC enfim pode confirmar as lutas para o evento. Quatro lutas tiveram que ser canceladas e o main-event alterado. Quase um desastre, se não fosse as excelentes lutas do card principal.

Card Principal

Khabib Nurmagomedov (vitória; decisão unânime) vs. Al Iaquinta

Como esperado, Khabib Nurmagomedov saiu vitorioso da luta principal do UFC 223 contra Al Iaquinta, consagrando-se como o primeiro russo e deter um cinturão do UFC. Foi uma vitória contundente, round após round Khabib mostrou superioridade sobre Iaquinta. Khabib assume agora o cinturão interino pertencente a Tony Ferguson.

Rose Namajunas (vitória, decisão unânime) vs. Joanna Jedrzejczyk

A tão esperada luta da noite transcorreu como haviamos previsto no Twitter: uma sangrenta luta de 5 rounds. Ambas as lutadoras são muito duras, sempre deixam tudo de si no octógono e são/foram campeãs. Jedrzejczyk iniciou o primeiro round num ritmo mais forte que na luta anterior e mostrou mais consistência durante a luta. Mas Namajunas mostrou que tem a mão pesada e desfigurou o rosto de Jedrzejczyk, algo incomum (geralmente vemos o contrário). Ao final dos duríssimos 5 rounds os árbitros deram vitória unânime para Namajunas (49-46×3).

Namajunas segue como campeã da divisão peso palha feminino e, muito provavelmente, deve enfrentar Jessica Andrade em sua próxima defesa de cinturão.

Calvin Kattar vs. Renato Moicano (vitória, decisão unânime)

Renato Moicano conseguiu boa vitória sobre Calvin Kattar. Após um 1o Round parelho, Moicano impôs dois bons rounds sobre Kattar. Os chutes na base de Kattar foram a tônica dos dois rounds. No geral, Moicano fez uma luta inteligente, com boa movimentação, atacando na hora certa e minando a base do adversário com poderosos chutes baixos. A torcida, no entanto, não gostou do que viu e chegou a vaiar o estílo pouco combativo (mas inteligente) do brasileiro. Ao final, Moicano venceu por pontos (decisão unânime; 29-28, 30-27×2).

Kyle Bochniak vs. Zabit Magomedsharipov (vitória, decisão unânime)

Zabit Magomedsharipov e Kyle Bochniak protagonizaram uma luta sensacional, digna de título mundial nas palavras de Joe Rogan. Magomedsharipov  mostrou uma enorme versatilidade, desfirindo uma série de golpes e quedas que pareciam terem sido tirados de um video-game. Mostrando bastante resistência, Bochniak conseguiu sobreviver os 3o Rounds, mas os arbitros deram vitória (decisão unânime, 29-28, 30-27×2) para Magomedsharipov.

Chris Gruetzemacher (vitória, TKO, 2o Round) vs. Joe Lauzon

Na primeira luta do card principal, Chris Gruetzemacher venceu Joe Lauzon no 2o Round por nocaute técnico. O juiz Dan Miragliotta encerrou a luta no intervalo do 2o para o 3o Round. Lauzon teve seu rosto desfigurado por conta de bons socos e cotoveladas aplicados por Gruetzemacher. As poderosas joelhadas no estômago aplicadas por Gruetzemacher também ajudaram a minar Lauzon, que acumulou sua terceira derrota consecutiva. Se não fosse pelo bom histórico de Lauzon (13 bônus, seja por luta ou finalização da noite no UFC), certamente ele estaria dando adeus para a organização.

Card Preliminar

Com poucas lutas, o card preliminar passou quase desapercebido. Com lutas pouco empolgantes, apenas o último confronto, entre Felice Herrig e Karolina Kowalkiewicz animou os fãs. A polonesa Kowalkiewicz protagonizou uma excelente luta, vencendo (em nossa contagem) o 1o e 2o Round. No geral, foi uma boa luta entre duas lutadoras  top 10 da categoria. Ashlee Evans-Smith conseguiu uma vitória fácil sobre Bec Rawlings (que acumula uma sequência irregular na organização).

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!