Artigos

UFC Fight Night 89 em Ottawa


Nesse fim de semana o UFC desembarca na capital Canadense para uma batalha emocionante entre o lutador da casa Rory MacDonald contra o perigoso Stephen Thompson se enfrentando para uma possível chance pelo título da divisão dos meio-médio.

Conhecido como o “Wonderboy” Stephan vem de uma série de cinco vitórias consecutivas contra adversários como Robert Whittaker, Cote, Jake Ellenberger e Johnny Hendricks, este último que lhe rendeu a premiação de luta da noite após um nocaute técnico no primeiro round. A maneira como venceu seus adversários recentes chamou atenção de todos e lhe rendeu a condição de favorito na disputa da noite, vindo de uma carreira no Kickboxer impecável com um cartel de 57-0, seu único revés no octógono foi para Matt Brown, desde então Wonderboy vem devastando seus oponentes, e a chance pelo cinturão está próxima! Já o canadense número 1 da divisão, Rory vem de uma derrota para Robbie Lawler na luta considerada uma das maiores da história do MMA, e uma vitória agora lhe dará a chance da disputada novamente.

No co-main event da noite Donald ‘Cowboy’ Cerrone enfrenta Patrick Cote. O franco-canadense parece ter ganhado vida nova desde que desceu de categoria e vem de uma série de 5 vitórias e 1 derrota (para Stephen Thompson) seu adversário Donald Cerrone também luta para se manter no topo dos meio-médios e é conhecido por nunca fugir de lutas. Esse será um bom teste para o Cowboy, será que ele ainda tem força para se manter na elite? O evento marca também a estréia da categoria peso-mosca feminina com Valerie Letourneau enfrentando Joanne Calderwood.

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!

Artigos

McGregor em lista da Forbes


Nesta semana a revista norte-americana Forbes divulgou a lista dos 100 atletas mais bem pagos no ano de 2015. A lista é encabeçada por Cristiano Ronaldo, jogador do Real Madrid, e Lionel Messi, do Barcelona FC. Neymar, único brasileiro na lista, figura na 21o posição do ranking. Segundo a revista ele recebeu uma quantia de aproximadamente US$ 40 milhões de dólares no ano de 2015.

O único nome do MMA a aparecer na lista é de Conor McGregor (19-3 MMA, 7-1 UFC), acima de atletas como a tenista  Maria Sharapova e do boxeador Canelo Alvarez (um dos maiores lutadores atualmente hoje no boxe). McGregor recebeu cerca de US$22 milhões em 2015, dos quais US$ 4 milhões apenas em patrocínio.

A lista completa você confere em: http://www.forbes.com/athletes/list/

Colunas

O que há por trás de talentos como Sage Northcutt e Conor McGregor?


O que há por trás do mito de Conor McGregor e Sage Northcutt? O que os faz tão especiais, que antes mesmo de estrearem no maior palco de MMA do mundo já despertavam interesse de todos? Um era chamado de sensação antes mesmo de estrear no UFC, após se tornar o primeiro irlandes a vencer no octogono em 2013 na Suécia em uma ascensão meteorica e agora pouco mais de 2 anos depois já detém um cinturão interino e causa arrepio em toda sua divisão. O outro: Sage Northcutt, aparentemente, mais um rosto bonito (sic) com físico invejável, comparado por Kenny Florian à George St-Pierre: Com um ano apenas um ano no Mundo do MMA ele já chegou no maior palco das lutas, ao mais alto nível. É um atleta completo, só de vista, o jeito como se comporta. diz o ex-lutador e agora comentarista Kenny Florian.

11

Sage Northcutt foi descoberto por Dana White enquanto gravava um episódio piloto do programa Em busca de uma luta” que está no ar pelo Canal Combate, nele o chefão do Ultimate volta as suas raízes de promotor de Boxe, quando garimpava novos talentos, época que ainda tinha cabelo e um pouco menos de dinheiro no bolso. É engraçado como ele olhava a foto de Sage, e junto com Matt Serra tiravam sarro do seu estilo, mas ao verem finalizar seu oponente em poucos segundos foi o bastante, no fim do evento Dana foi ao vestiário e fechou contrato alí mesmo, pouco tempo depois fez sua estréia no UFC 192 em Houston Texas. A luta? Outro nocaute relâmpago mostrando uma enorme confiança em cada golpe desferido.

Aos 9 anos de idade Sage, foi capa da revista Sport Karate, quando foi entrevistado o perguntaram quais eram seus planos para o futuro, eu quero lutar no UFC e ser um campeão”. Seu primeiro objetivo foi alcançado agora falta saber enquanto tempo terá um cinturão!

Dois anos atrás Dana, foi a Dublin receber um prêmio na Trinity College, enquanto esteve na capital foi bombardeado de ‘tweets’ de fãs locais falando sobre um espetacular lutador; Conor McGregor. Em seu retorno aos Estados Unidos perguntou aos seus matchmakers sobre o garoto, apenas algumas lutas amadoras, não parecia nada demais ainda curioso o convidou para uma visita ao deserto, mais conhecido como Las Vegas e o levou para uma volta em sua Ferrari. Pouco depois estava assinando seu contrato de cinco lutas no UFC, antes mesmo de o vê-lo lutar. Conor McGregor é o cara, ele é foda mesmo. De um jeito como nunca vi antes. Maior que Brock Lesnar quando estava aqui. Maior que qualquer outro cara que eu já tive. Nunca vi nada como isso” disse Dana, vislumbrando mares de dinheiro, ao ver o Irlândes nocauteando Dustin Poirier em apenas um round no UFC 178.

McGregor assim como Sage já perderam uma luta, não são invictos no MMA. Eles sabem o gosto da derrota. Lá no ano de 2010, em sua sexta luta, contra Joseph Duffy, McGregor foi nocauteado em 38 segundos e isso foi um choque para ele, bateu antes mesmo de perder a consciência, um dos grandes arrependimentos de sua carreira. Aquilo me comeu vivo” disse ele. Após isso, eu disse a mim mesmo, vou lutar até a morte, você terá que me matar. Sage, foi derrotado logo em sua estréia no MMA amador, foi nocauteado por Charles Sheppard no Legacy Amateour Series 11 em 2013, ano em que o Irlandês estreava no Ultimate.

Conor McGregor e Sage Northcut, dois estilos diferentes, duas personalidades completamente opostas. Um é falastrão, chega a ser arrogante o outro calmo e tranquilo, como se pensasse antes de falar qualquer coisa para não soar arrogante. Trash talk? Smack talk? Esses termos americanos me fazem rir. Eu simplesmente digo a verdade. Eu sou irlandes. Nós não ligamos para sentimentos. Dizemos a verdade. As pessoas me perguntam e eu respondo, eu as digo a verdade.” finalizou o lutador a revista Esquire.

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!

Artigos

Mark Hunt revela abusos na infância


Uma história de tristeza, orgulho e triunfo do atual peso pesado do UFC: Mark Hunt, o Super Samoan, baixa a guarda e revela em sua biografia autorizada seus altos e baixos na vida. Intitulada Born to Fight/Nascido para Lutar, foi escrita pelo jornalista Australiano, Ben Mckelvey e foi lançado nessa semana na Nova Zelândia.

Hunt, acredita ter sido abençoado por Deus, com uma força capaz de nocautear qualquer peso-pesado. Esse dom o levou ao topo de sua categoria no UFC, K-1 e PRIDE e entre os 20 atletas mais bem pagos da Nove Zelândia. Em sua biografia, revela ter sofrido abusos horríveis na infância, que o levaram a ter uma vida de dor, rancor e ódio passando de brigas de bar à lutas nas maiores arenas do Mundo.

Espancado diariamente por seu pai Charles, um criminoso sexual que abusava de constantemente de sua filha dos seis aos dezoito, irmã mais velha de Hunt, preso mais tarde, Charles foi solto por faltas de prova e voltou a abusar de forma física e mentalmente de seus filhos. Isso acontecia todos os dias, e se eu se recusasse a fazer sexo com meu pai ele faria com meus irmãos. Eu fui uma mãe para Mark, ele era o mais novo e eu era sua protetora, não tínhamos mais ninguém. disse Victoria ao Jornal Sydney Morning Herald. Charles, morreu de câncer no pâncreas em 2005, seu irmão John cometeu suicídio recentemente, seu outro irmão, Steve, foi diagnosticado com esquizofrenia e mora com Victoria.

É um olhar perturbador de uma família Polinésia sádica e patriarcal do sul de Auckland, nesse ambiente caótico foi forjado o espírito guerreiro e de certa forma violento de Mark Hunt, que revela não sentir ódio de seu pai; Eu não sei o que sentir sobre esse cara. Ele era uma pessoa boa por um dia na semana e no resto era um demônio. Mas eu agradeço por ele ter sido desse jeito, senão eu não estaria onde estou hoje. Ele me ensinou uma coisa…que eu nunca serei como ele.. O livro não tem previsão de chegada às livrarias brasileiras, mas pode ser importado pela internet.

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!

Artigos

UFC no coração de Nova York?


Lawrence Epstein, COO do UFC anunciou que o o Ultimate reservou o Madison Square Garden no dia 23 de abril de 2016 para um possível evento em Nova York. Embora isso não indica que o MMA seja finalmente legalizado no estado, apenas um otimismo em relação a próxima votação que decidirá sobre o tema. Caso seja dado a permissão nessa seção plenária o UFC não teria tempo para agendar um evento no primeiro semestre de 2016, então já reservaram essa data.

No começo da semana o UFC pediu a Corte Federal uma liminar contra o Estado de Nova York enforçando a inconstitucionalidade da lei que o impede de promover eventos de MMA no estado. Sem essa liminar o evento não ocorrerá.

O último evento em Nova York foi à 20 anos atrás, o UFC 7 que aconteceu em Buffalo, desde então os eventos de MMA estão banidos no estado, nessa época o então senador John McCain liderou a caçada as bruxas” ao Ultimate.

A esperança para a legalização aumentou esse ano após o líder da oposição contra o MMA, Sheldon Silver renunciar ao seu cargo devido a escandalos de corrupção. Contudo a história é mais complicada do que parece, os donos do Ultimate, os irmãos Fertitta são herdeiros e dirigem a maior rede de Casinos em Las Vegas, inimiga número um do sindicato Culinary Union que tem sua sede em NY, eles representam os trabalhadores de hotéis e cassinos em Las Vegas, e financiam esse lobby contra o Ultimate, chegaram até a criar uma página anti-UFC chamada Unfit for Children e um perfil na rede Twitter para acusar o evento de ter atletas misóginos, homofóbicos e anti sociais. Os Fertitta contratacam ao não contratar funcionários do sindicato e a briga continua se arrastando.

O UFC, assim como seus lutadores, não se dá por vencido nessa batalha e continua lutando para a legalização do esporte e essa medida de reservar o Madison Square Garden, palco de lutas épicas no Boxe, no coração de Nova York é uma demonstração de otimismo e ousadia.

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!