Artigos

UFC de volta a São Paulo


O som da multidão é igual em toda parte do Mundo em que haja brasileiros lutando, o grito que ecoa nas arquibancadas é o mesmo desde o UFC 134 (cinco anos atrás), um som compacto que virou quase um ritual “Uh, vai morrer!”. O grito de guerra adotado pelos fãs de MMA será novamente escutado em solo brasileiro. Na semana em que a Fórmula 1 se despede de São Paulo, chega a cidade mais um grande evento internacional, UFC Fight Night 100 ou simplesmente UFC São Paulo como é chamado por aqui, prometendo mais um final de semana de ação na Terra da Garoa! O palco será novamente o Ginásio do Ibirapuera na Zona Sul da Capital.

A luta da noite será a revanche entre o Rogério “Minotouro” Nogueira contra o norte-americano Ryan Bader. Na primeira ocasião, seis anos atrás, Bader saiu vitorioso em uma unânime vitória. Agora Minotouro busca não só a vitória mas o topo do ranking da divisão meio-pesado. Em conversa com jornalistas do site oficial do Ultimate, Minotouro relembra o primeiro duelo entre os dois: “Foi uma luta muito disputada, decisão até um pouco polêmica. Era uma luta que eu queria fazer, já faz mais de três anos que vinha tentando, e veio numa hora boa. O Bader está numa grande fase da carreira, eu venho de uma fase boa, fiz duas grandes lutas nos últimos dois anos, então acho que é uma boa hora (para a revanche)” revela o veterano Brasileiro.

Ryan Bader, número 4 do ranking dos meio-pesados foi chamado para o card de São Paulo após uma lesão de Alexander Gustafsson e faz sua segunda luta em solo brasileiro, a primeira ocorreu em Minhas Gerais quando perdeu para Glover Teixeira. “Minha preparação é a minha experiência. Eu já lutei no Japão, onde eles (os fãs) são todos muito empolgados, e também já lutei no Brasil onde a multidão é muito empolgada e torcem muito forte pelos seus lutadores. Mas eles são muito receptivos e simpáticos. Eu sei que existem muitas pessoas torcendo contra mim, mas eu transformo toda essa energia em gás para a luta. É assim que as coisas são, eu adorei lutar no Brasil da última vez. O contato com os fãs, mesmo sabendo que eles estavam torcendo contra mim, foi uma experiência muito boa” contou o atleta em conferência feita por telefone na sede da assessoria de imprensa do UFC no Rio de Janeiro.

No futebol, para a torcida brasileira a seleção tem sempre a obrigação de ganhar, jogando em casa a cobrança é ainda maior e no MMA a pressão pela vitória não é diferente. No entanto, torcedores e mídia vêem os atletas brasileiros com certo ceticismo, após derrotas de favoritos como Rafael dos Anjos e Fabricio Werdum, o país vê com poucas esperanças um novo campeão num futuro próximo. Vencendo suas lutas: Minotouro e Gadelha passam a ter grandes chances de desafiar o campeão de suas categorias e quem sabe trazer o cinturão para casa!

Esse será o último evento em solo brasileiro neste ano, o próximo evento no país, conforme divulgado logo após o evento de Nova York será em 11 de Março, possivelmente no Rio de Janeiro. Ingressos para o UFC São Paulo ainda estão disponíveis pela Ingresso Rápido.

cxox-oaxcaaupmb-1-1

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!

Colunas

Jones slams referee after annoucement


This article was originally published in portuguese during the UFC 200 week.

“I prefer any other referee than him.” It was like this who Jones “Bones” Jones reacted to the choice of John McCarthy as referee in his fight against Daniel Cormier for the unification of the Light Heavyweight belt in the UFC 200. Know by fans as “Big John”, McCarthy has a exceptional career, and was one of the responsible for unifying the rules of the sport and continues to referee since the first Ultimate Fighting. If Jones does his homework he should have a problem with the referee but if the fight goes to the final-round hear we could have a good problem. If anything should make John more afraid than Big John it is the judge’s table Sal D’Amato!

That said, Bob Bennett spoke on this site MMAnia. “This morning (July 28th) at 8:18 I received an e-mail from Mr. Kawa of the Jones ´camp, expressing their concern about John McCarthy being referee of the fight. Surely I analyze his worries about the referee and respected the comments he made but I don´t think it is significant enough to change my recommendation”, said the Executive Director of the Athletic Commission of Nevada, responsible for the rules of the game.
In social networks Jones didn´t present his real arguments, only saying that something bad could happen. “It´s a mixture of many things over the years. The energy [for example], I feel that we don’t have a good energy. Some things have accumulated which happened during some fights and personal interactions. I simply feel he doesn´t need anything more against me, I´m already facing a great fighter like DC” explains Jones. In fact Jones don´t should be worried with John MacCarthy. In his career as referee few big mistakes were made and in the fights that Big John participated he was successful in all of them: against Lyoto Machida (in UFC 140), Victor Belfort (UFC 152) and Alexander Gustafsson (UFC 165).

One factor should be seen with a lot of attention, the choice of the three table referees – who marked the points and judge the results of the fight in case there is no definition: Derek Cleary, Glenn Trowbridge e Sal D’Amato. This last name is not strange for any attentive fan. Sal D´Amato was involved in many controversial fights over the last few years, you only need to google his name to see history of then. All make possible for the spectator mistrust the decisions made by these table-referees figures so obscure that is difficult to find any type of information about this on the internet. It´s seens that some don´t even exist. Even though they stay in strategic positions around the octagon, we can hardly see their faces.

Sal D´Amato is one of the must selected referees to judge the fights, having worked in Ultimate Fighter events in all over the world, including Brazil. In 2013 in all of the fights he worked which went to the last round, about 12.5% were considered controversial. To be more specific look at the case of some of this fights in all his decisions influenced the winner were at least controversial.

In 2015 the fight named “Robbery of the Year” by the site Sherdog.com: Bedel Dariush vs. Michael Johnson in UFC Fight Night had D´Amato as responsible for the final decision. “I already knew that this would happen. I was in the cage and looked at Bruce Buffer and Herb Dean and they were reading the cards and their expressions spoke for than selves. Everybody knew that a won that fight. I saw their faces. I think Bruce Buffer looked confused reading the card, he had to check again with the judges. I don’t know if they heard me when I said: Wow, they gave him the slip decision?!” said Johnson to the MMAJunkie.com.

Decisions like this are not rare ad because of this Dana White always says: don’t leave the decision in the hands of the judges. The phrase is so famous that you can see this on the doors of the changing rooms of the TUF (The Ultimate Fighter). The controversy about the mistakes of the referees cause debates in many sports, subjects for the media and even jokes with friends. This is all normal, it´s part of being human, we are all susceptible to mistakes. Now that many sports have started to use more technology to help not to make so many mistakes, the table-referees of UFC and MMA event should have cameras at all possible angles for a good decision. But the rules to choose the referees should be make as clear as possible so there won´t be any doubt about the legitimacy of the sport. Posluta.com tried to contact Bob Bennett, director of Nevada Athletic Commission, but his secretary inform us that the Mr. Bennett was out of this office for one week.

Find all the information you need to know about how to be a investor member of the Post-fight website. All information in Portuguese only.

Artigos

Drama e glória de Cyborg em Brasilia!


Na luta principal do UFC Fight Night 95 – chamado por aqui apenas de UFC Brasília, Cristiane Cyborg, manteve o favoritismo e venceu a sueca Lina Lansberg por nocaute técnico no segundo round. Após uma semana dramática em todos os sentidos sua preparação valeria outro documentário. Cyborg, venceu não apenas sua adversária – e de forma avassaladora diga-se de passagem – mas a si mesma na balança, um dia antes de sua luta.

A narrativa desse roteiro se divide em três partes, a expectativa da pesagem, luta e celebração. Há poucos dias da luta Cyborg viveu um drama em seu processo de perda de peso, atraindo os olhos da mídia mundial para os riscos de uma de perda de peso tão grande e desgastante em um curto espaço de tempo.

Ao som de sua música gospel “Santo Espírito” Cyborg entrou no octógono do Ginásio Nilson Nelson, levando o público ao delírio. Na luta fez o que se esperava e partiu para uma trocação agressiva e não teve muitas dificuldades para impor seu ritmo. Ao final do primeiro round a pergunta que ficava era: “por quanto tempo mais duraria Lansberg?”. No segundo round não demorou muito para que Cyborg partisse para cima, culminando com o árbitro Yamasaki decretando o fim da luta por nocaute técnico.

No co-main event da noite Renan Barão, venceu de forma tranquila Philipe Nover em sua estreia na categoria dos Penas, por decisão unânime dos árbitros após os três rounds, com pontuação de 29-28 (Sal D’amato), 29-28 (Guilherme Bravo), 30-27 (Joseph Terrell). A luta mais controversa da noite foi entre Roy Nelson e `Bigfoot` Silva, após um nocaute no

img_0351-1

segundo round Nelson, teria acertado um chute no árbitro. Fato que foi esclarecido por ele depois na coletiva pós-evento “Lá atrás, eu e John estávamos falando sobre estragos, sobre posições e o que poderia acontecer, o que ele poderia fazer. Falamos sobre o joelho na barriga; ele disse, “Ah, isso é só uma posição”, e eu respondi, “Isso pode ser uma finalização”, ele não sabia, eu disse, “Talvez você devesse ficar no chão e eu botar o joelho na sua barriga pra ver se você vai bater.” Ele disse não. Eu estava só garantindo que ele garantiria que eu não levaria uma cutucada no olho, que ele não agarraria a grade, que ele não acertasse um chute nas minhas bolas, e que o outro cara estivesse seguro quando eu o nocauteasse. Quando eu acertei o Pezão, sabia que já tinha o nocauteado com meu primeiro soco. Na minha cabeça, estava tudo em câmera lenta, quase como se eu estivesse batendo papo com o Big John. Sou amigo do Pezão, conheço sua família, não preciso ficar batendo na sua cabeça. Se ele tivesse caído de cara no chão, eu teria saído de perto tipo o Mark Hunt, mas ele caiu de costas. Ele (Big John) não estava longe, estava bem ao meu lado, e nós tivemos uma conversa. Eu falei, “Ele apagou”, e ele disse, “Não, continue trabalhando!” Acho que continuei machucando o Pézão, quando senti que não precisava mais.”.

img_0477-1

A noite em Brasília terminou com o anúncio, na coletiva de imprensa, dos vencedores da melhor luta da noite (Erick Silva vs. Luan Chagas) e performance da noite (Vicente Luque vs. Eric Spicely). Também foi anunciado o main event do próximo evento no Brasil, dia 19 de Novembro no Ginásio do Ibirapuera, Rogério `Minotouro’ Nogueira contra o sueco Alexander Gustafsson.

UFC Fight Night: Cyborg vs Lansberg
Local: Ginásio Nilson Nelson
Público: 8.841 mil
Cidade: Brasilia, Brasil
Data: 24/09/2016
Arbitragem: CABMMA (Comissão Atlética Brasileira de MMA)
Promotor: ZUFFA

Cristiane “Cyborg” Justino vs Lina Lansberg
Categoria: Catchweight 140 lbs (Peso Casado 63 kgs)
Resultado: Nocaute técnico (Socos)
Tempo: 2min29 do Segundo Round
Juiz: Mario Yamasaki
Árbitros: Sal D’Amato (10-9), Guilherme Bravo (10-8) e Hallison Pontes (10-8)
Músicas: Santo Espírito – Gézi Monteiro (Cyborg) e Awolnation – Sail (Lansberg)
Patrocínio Reebok: Cyborg ($2,500) Lansberg ($2,500)
Suspenção Médica: Cyborg (14 dias sem lutar) e Lansberg (45 dias sem lutar)

Chega a hora da luta da noite! As luzes se apagam e a primeira a fazer sua entrada é a sueca Lina Lansberg, fazendo sua estréia no Ultimate, ela parece calma e até sorri. Em entrevista recente Lansberg prometera tirar sangue de Cyborg! É o que veremos em alguns minutos… Agora as luzes se apagam novamente e a música gospel de Cyborg começa a tocar: “Santo Espírito”, então ela aparece e faz sua entrada. O barulho no ginásio é tão alto, a atmosfera tão vibrante, definitivamente a brasileira entra no octógono em vantagem: acompanhada de 8 mil torcedores! A luta começa e Cyborg parte para trocação com ex-campeã de Muay Thai, Lansberg parece atordoada e tenta apenas sobreviver. Mario Yamasaki excita e quase encerra o combate! Termina o primeiro round – desde 2013 Cyborg não ia para o segundo round, é um fato impressionante. Logo no começo Cyborg cerca Lansberg e novamente parte para trocação, o fim é eminente…alguns segundos depois a brasileira cai por cima e aplica socos e cotoveladas! É o bastante, Yamasaki decide parar a luta. Cyborg mantém sua invencibilidade no UFC!! Quem será a próxima?

cris-cyborg-vs-lina-lansberg

Renan Barão vs Phillipe Nover
Categoria: Peso-Pena
Resultado: Decisão Unânime
Tempo: 3 rounds
Juiz: John McCarthy
Árbitros: Sal D’Amato (28-29), Guilherme Bravo (28-29) e Joseph Terrell (27-30)
Música: Minha Missão – Andrezinho Shock (Barão) e Hate Me Now – Nas (Nover)
Patrocínio Reebok: Barão ($10,000) Nover ($5,000)
Suspensão Médica: Barão (14 dias sem lutar) e Nover (14 dias sem lutar)

Renan Barão, chega para essa luta com algo a provar, após terminar seu reinado na categoria Peso Galo com duas derrotas para TJ Dillashaw, Barão retornou aos Penas recentemente com derrota para Jeremy Stephens em sua estréia. Contra Phillipe Nover, Barão busca redenção. Enquanto Nover entra na luta para vencer ou vencer, a derrota não está nos seus planos! Primeiro round equilibrado, dois árbitros de mesa deram a vitória à Barão. No segundo o brasileiro domina e leva com sobra. No terceiro e último Barão controla e mantém a distância e vence a luta por decisão unânime. Na entrevista dentro do octógono Barão agradece pela “oportunation” fazendo inveja ao inglês de Joel Santana.

renan-barao-vs-phillipe-nover-1

Antonio “Bigfoot” Silva vs Roy Nelson
Categoria: Pesados
Resultado: Nocaute (Socos)
Tempo: 4min10 do Segundo Round
Juiz: John McCarthy
Árbitros: Hallison Pontes (9-10), Marco Aurelio Borges (9-10) e Fabio Alves (9-10)
Músicas: Fat – Weird All Yankovic (Nelson) e Lado B Lado A – O Rappa (Bigfoot)
Patrocínio Reebok: Nelson ($15,000) Bigfoot ($10,000)
Suspensão Médica: Nelson (14 dias sem lutar) e Bigfoot (45 dias sem lutar)

Não tem como negar, Bigfoot Silva é um hevyweight de respeito, lutou e venceu os melhores de sua categoria como Travis Browne, Emilianenko Fedor, Alistar Overeen, Arlovski entre outros. Mas em suas últimas oito lutas, tem 6 derrotas, 1 empate e apenas uma vitória, ou seja, estava com a corda no pescoço. Roy Nelson, também não estava nada confortável: seis derrotas nas últimas oito lutas. Bigfoot, com penteado estilo Isaquias Queiroz até começou bem mas o “Big Country” Nelson acertou bons golpes no brasileiro levando John McCarthy a parar a luta. Aí começa algo que seria discutido mais tarde na coletiva pós evento: teria Roy Nelson chutado o árbitro ou apenas um empurrão para mostrar seu descontentamento? Se a comissão atlética local sinalizar com uma punição Big Country terá sérios problemas.

bigfoot-silva-vs-roy-nelson

Francisco Trinaldo vs Paul Felder
Categoria: Leves
Resultado: Nocaute Técnico (Médico)
Tempo: 2min25 do Terceiro Round
Juiz: Osiris Maia
Árbitros: Sal D’Amato (18-20), Joseph Terrell (18-20) e Marco Aurelio Borges (19-19)
Músicas: Can’t be Touched – Roy Jones Jr. (Trinaldo) e Shipping up to Boston – Dropkick Murphy (Felder)
Patrocínio Reebok: Trinaldo ($10,000) Felder ($5,000)
Suspensão Médica: Trinaldo (14 dias sem lutar) e Felder (45 dias sem lutar)

Francisco Trinaldo “Massaranduba”, vinha de impressionantes seis vitórias seguidas enquanto Felder, o “Irish Dragon” vinha de duas vitórias em quatro meses. Massaranduba estava vencendo com certa tranquilidade no primeiro e segundo round, no terceiro estava apenas administrando a vitória quando um golpe do brasileiro acerta o supercílio de Felder, um corte profundo e próximo ao olho direito surge e o árbitro Osiris decide encerrar a luta. Ainda no octógono Massa, revela ao comentarista Jon Anik e ao mundo que será pai. Alguns minutos depois Dana White, recebe uma foto do ferimento de Felder e compartilha na internet. Realmente um dos maiores cortes no supercílio. Veja Aqui.

francisco-trinaldo-vs-paul-felder-1

Eric Spicely vs Thiago “Marreta” Santos
Categoria: Médios
Resultado: Finalização (mata-leão)
Tempo: 2min58 do Primeiro Round
Juiz: John McCarthy
Árbitros: Guilherme Bravo, Hallison Pontes e Fabio Alves
Músicas: Pennywise – Bro Hymn (Spicely) e Marretta Da CCD Para O Mundo – MC Isaac Saradinho (Marreta)
Patrocínio Reebok: Spicely ($2,500) Marreta ($5,000)
Suspensão Médica: Spicely (14 dias sem lutar) e Marreta (14 dias sem lutar)

Ultimate Figther Brazil 2 contra Ultimate Fighter 23! Eric Spicely venho para, literalmente, lutar pela carreira. Seis semanas antes recebera um telefonema dizendo que ele seria cortado mas devido a venda do UFC pela WME-IMG ele teria uma nova chance, era pegar ou largar, mesmo sem saber quem era seu adversário ele aceitou. Thiago Marreta, vinha em ascensão na categoria dos médios até ser parado por Mousasi, nessa luta ambos tinham algo a provar. Marreta logo encontrou a distância certa e queria manter a luta em pé ao contrário de Spicely, que buscava a finalização. Depois de algumas tentativas ele consegue montar nas costas de Marreta e aplica um excelente mata-leão, o segundo da noite.

thiago-santos-vs-eric-spicely-1

Godofredo Pepey vs Mike De La Torre
Categoria: Penas
Resultado: Finalização (mata-leão)
Tempo: 3min03 do Primeiro Round
Juiz: Mario Yamasaki
Árbitros: Guilherme Bravo, Sal D’Amato e Joseph Terrell
Músicas: Eminem feat Nate Dogg – Till I Collapse (Pepey) e Its a Man’s World – James Brown (Mike)
Patrocínio Reebok: Pepey ($5,000) Mike ($5,000)
Suspensão Médica: Pepey (14 dias sem lutar) e Mike (14 dias sem lutar)

Nada melhor que começar um card principal com Godofredo Pepey para incendiar o público. Vindo de derrota para Darren Elkins, Pepey queria mostrar que estava de volta no jogo e começou a luta contra De La Torre com uma trocarão agressiva. De La Torre, apenas tentava se defender sem sucesso. Ao final do round Pepey vê uma brecha no chão e aplica um mata-leão sem escapatória. Pepey estava na briga direto para ganhar pela quarta vez na carreira o bônus da noite!

godofredo-pepey-vs-mike-de-la-torre-1

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!

Artigos

Dana White e Donald Trump, “Making America Great Again?”


Começa nessa semana em Cleveland, Ohio (meio-oeste), a convenção nacional do Partido Republicano mais aguardada dos últimos anos, que aclamará Donald Trump como candidato republicano à Casa Branca. Trump, magnata do ramo imobiliário, conhecido caçador de negócios, dono de um império de bilhões de dólares é o símbolo de uma era na economia americana. Mas, o que isto tem haver com este site e com nós fãs das Artes Marciais Mistas? Por mais estranho que pareça Donald Trump e o UFC tem uma longa relação de interesses e isso está ainda mais evidenciado com o convite a Dana White para discursar na convenção Republicana, que marca a  largada para campanha presidencial do partido.

UntitledDurante os quatro dias de convenção, os delegados e espectadores assistirão a discursos e depoimentos de semi-celebridades e atletas que apoiam a campanha, como: Tim Tebow (quarterback do Philadelphia Eagles em 2015) e o chefão do UFC, Dana White. Entre os lutadores de MMA, Trump tem como fieis eleitores Randy Couture, Chris Weidman, Miesha Tate e Tito Ortiz, este último já foi até “demitido” por Trump em seu reality show “O Aprendiz”. É figura garantida em seus comícios – como mostra a imagem acima.

Há poucos dias de sua campanha pelo partido Republicano à Casa Branca, Trump contratou o Diretor de Comunicações do UFC, Steven Cheung, para sua campanha. Com vasta experiência em política, republicano, Steve iniciou sua carreira como Redator de Discursos na Casa Branca no mandato Bush, após sua graduação na Universidade da California passou por campanhas de John McCain e Steve Poizner, respectivamente candidato a presidente e governador da California.  Sua função na atual candidatura de Trump será mante-lo informado a par de todas as noticias que envolvem a campanha e como responde-las.

CMtdWF1WUAIoJYh.pngDonald Trump não teme um bom embate seja verbal ou não, indicado em 2013 ao Hall da Fama das Artes Marciais do estado de Nova Jersey. Há cerca de 20 anos atrás quando o Ultimate era banido na maioria dos estados norte-americanos, Trump abriu as portas de seu resort, o Taj Mahal ao evento. O ano era 1996 quando uma fita com lutas chegava a mesa do senador Republicano de Arizona e fã confesso do Boxe; John McCain, começa ai a era de “caça as bruxas” ao UFC que durou cerca de quatro anos, e acabou banindo o evento na maioria dos estados Norte Americanos. E serviu para que o evento ressurgisse e virasse o que é hoje. Após o evento ser comprado por Dana e os irmãos Fertitta, Trump ajudou novamente abrindo as portas de seus casinos para realização de outras edições.

Trump acredita que a vida seja um jogo, no qual os pontos são ganhos ou perdidos com base em uma regra: o dinheiro. Até agora ninguém pode dizer que ele seja um mal jogador. Em 2008 seu faro para o sucesso o fez investir numa franquia de MMA criada pela marca Affliction, o evento surgiu como rival do UFC e chegou a realizar três edições nos EUA, numa delas com participação de Emilianenko Fedor, fazendo sua estréia em solo norte-americano. O discurso de Dana poderá ser visto ao vivo pelo canal CNN Internacional no dia 19 de Julho. 

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!

Artigos, Colunas

Jon Jones, autodestruição de uma lenda.


Insidiosa, sombria e escura, a sombra da desonra começa a deitar-se novamente sobre Jon ‘Bones’ Jones. Campeão dos meio-pesados mais jovem da história, Jones já venceu cinco ex-campeões da categoria, considerado por muitos o maior de todos na atualidade não apenas no UFC mas no MMA em geral. No entanto, a nova denúncia de doping pode colocar tudo isso a perder. Dono de um extenso prontuário de escândalos capaz de causar inveja até mesmo ao ex-jogador Adriano! Por ser recorrente o atleta pode pegar uma punição de até dois anos pela Comissão Atlética de Nevada (punição semelhante a de Chael Sonnen, num caso parecido). Não há pessoa nenhuma capaz de salvar Jones de sua própria biografia.

No fim de semana que antecedeu o histórico UFC 200 tudo estava indo bem, a revanche tão aguardada entre Jones e Cormier de fato aconteceria. Menos de 72h antes do dia da luta o USADA, agência antidoping americana, informa ao Ultimate através de Jeff Novitzky, vice-presidente de Saúde e Performance do UFC, que uma substância proibida foi encontrada em amostras do lutador. Novitzky investiga o uso de esteroides nos esportes há anos pelo Serviço de Receita Interna do governo federal dos EUA, e é agente especial da Administração de Alimentos e Drogas (FDA, na sigla em inglês) desde 2008. Ele teve papel decisivo em algumas das investigações que desmascararam esquemas de doping envolvendo alguns dos maiores nomes do esporte mundial, como Marion Jones, Tim Montgomery, Justin Gatlin e o mais famoso deles, Lance Armstrong. Era o fim, a luta seria oficialmente cancelada. As horas que se seguiram na noite de quinta-feira foram de perplexidade pelos fãs e apreensão por parte de Daniel Cormier, seu adversário. Novitzky, informou primeiramente Dana White sobre o notícia e em seguida Malki Kawa, empresário do atleta.

Simulando grandeza, Jones reuniu a imprensa, juntamente com sua advogada e empresário, anunciou ter sido flagrado em um exame antidoping coletado pela USADA mas não poderia revelar qual seria a substância pois a investigação e contra-prova estavam em andamento. Dias depois foi revelado no programa semanal do comentárista Joe Rogan, que duas substâncias proibidas foram encontradas, dois bloqueadores de estrogênio, que são basicamente hormônios femininos. Esses bloqueadores de estrogênio não são, por si só, drogas de aumento de performance, mas são comumente usados como “terapia pós-ciclo”. Isto é, após o uso de esteroides ou de outros agentes anabólicos. Visivelmente abatido e com voz embargada Jones parecia realmente triste, mas talvez por outros motivos. Ao perder a luta Jones também ficou sem sua milionária bolsa para a luta, não receberia nem um centavo se quer, seria o maior pagamento de um atleta na história do Ultimate, esse recorde ficou para Brock Lesnar, que recebeu cerca de $2.5 milhões de dólares na noite de sábado, algo em torno de R$8.26 milhões de Reais. Em entrevista ao jornalista Ariel Helwani, o empresário de Jones, Malki Kawa revelou que o atleta perdera uma bolsa de oito dígitos! Valor que equivale ao dobro de tudo que ganhou ao longo de oito anos de carreira no Ultimate. “Estamos falando de um pagamento de oito dígitos. O Conor McGregor pode falar o que quiser, mas o Jon é, de longe, o cara mais bem pago no UFC” revelou Malki. Realmente é de se chorar.

A separação entre a vida pessoal e profissional dizem os especialistas, é utópica. Justamente por isso, há pessoas que, ao obter sucesso na carreira, se reveste daquele personagem no dia-a-dia, no convívio com a família e os amigos e como consequência, se transformam em alguém irreconhecível. Esse é o caso de Jon Jones, que no octógono é um ser quase imbatível e fora dele age como se tivesse super poderes e pudesse fazer o que bem entender. Ao contrário do que pensa ou faz parecer, Jones não tinha e não tem superpoderes. Hoje é apenas um excelente lutador que caiu em desgraça, alguém que o sucesso para ter transformado.

ABAIXO O TOP 8 DOS MAIORES ESCÂNDALOS DE JON JONES.

  • Jones, não é apenas o campeão invicto dos meio-pesados, ele também o campeão dos golpes baixos no Ultimate. Em sua estréia num card principal foi punido com um ‘No-Contest’ após desferir cotoveladas ilegais em Matt Hammil. Pisão no joelho e dedo no olho também fazem parte do arsenal do lutador e por muitas vezes parece ser aplicado de forma proposital em seus adversários.
  • Em maio de 2012, Jones bateu sua Bentley Continental GT em um poste, em Binghamton, Nova Iorque. Preso na mesma hora por dirigir sob a influência de álcool, foi solto da prisão após sua mãe pagar fiança de $1.000 dólares. Como punição teve sua carteira de motorista suspensa por seis meses e teve um bloqueador de velocidade instalado em todos seus veículos. Ironicamente, no mesmo ano Jones deu um treinamento na policia local com o mesmo ‘sheriff’ que o prendeu.
  • Pela primeira vez na história um evento inteiro foi cancelado devido Jones recusar a enfrentar Chael Sonnen, numa substituição feita oito dias antes do evento. Dan Henderson seria o adversário de Jones, mas sofreu uma lesão, levando o Ultimate oferecer a substituição por Chael Sonnen, após a recusa do campeão Dana decidiu cancelar o card inteiro, algo inédito até hoje. A luta só ocorreu no ano seguinte.
  • Em sua preparação para luta contra o brasileiro Glover Teixeira, Jones foi acusado por um fã Sueco de insultos homofóbicos no Instagram; após ser provocado, Jones retalhou postando xingamentos em diversas das fotos pessoais do suposto fã. Para deixar a situação mais bizarra e constrangedora Jones comunica no Twitter que seu celular foi roubado e consequentemente teve sua conta foi hackeada.
  • Durante um evento promocional do UFC 178, em Las Vegas, Jon Jones e Daniel Cormier protagonizaram uma das cenas mais inusitadas já vistas. Na tão aguardada encarada entre os dois Jones encosta a testa em Cormier que o empurra, a partir daí se inicia uma briga generalizada. O incidente teve consequências irreparáveis para Jones, que teve seu contrato com a Nike cancelado.
  • Em Janeiro de 2015 a primeira bomba, Jones, foi pego em um exame antidoping surpresa realizado pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC), a substância encontrada foi benzoilecgonina, principal metabólico da cocaína. Imediatamente ao anuncio do doping Jones anunciava que daria entrada em um Centro de Reabilitação para Usuários de Drogas. Tão chocante quanto a notícia foi a descoberta que o lutador passou apenas uma noite na reabilitação e voltou para casa.
  • Em abril do mesmo ano, o lutador se envolveu em um acidente de carro na cidade de Albuquerque, nos Estado norte-americano do Novo México. Na ocasião, o carro do atleta colidiu no veículo de uma mulher grávida. Ele fugiu sem prestar socorro e foi detido dias depois. Por esse motivo, “Bones” perdeu o título do UFC e foi suspenso pela organização, sendo condenado a prestar serviços comunitários sob liberdade condicional. E novamente perdeu mais um contrato milionário, desta vez da Rebook. Para piorar a situação – se é que isso é possível, pouco tempo depois foi detido novamente, dessa vez por ter disputado racha com seu veículo.

Torne-se um colaborador do Pós-Luta, ajude-nos a crescer e tenha seu nome no site. Conheça os benefícios de ser um colaborador. APOIA.SE!